Close

August 21, 2020 | Blog

Navegando os mares da instabilidade: navegando risco e conformidade em mercados turbulentos

Para os profissionais de gestão patrimonial que trabalham nas áreas de risco e compliance, a última década tem apresentado uma série de desafios sem precedentes.

A implementação do Dodd-Frank, o aumento do reporte dos fundos, a regra fiduciária do Ministério do Trabalho do EUA e o ativismo dos acionistas são apenas alguns dos muitos fatores que alteraram o cenário nas áreas de conformidade e risco na gestão de ativos. Além disso, essas mudanças ocorreram em um momento em que a redução de taxas e o corte de custos aceleraram, juntamente com o aumento dos custos de conformidade.   

E, para completar, é claro, há a volatilidade do mercado. As oscilações mais recentes do mercado apresentam desafios não apenas para os traders e gestores de portfólio, mas para os gestores de conformidade e risco que trabalham para garantir que os requisitos legais, regulatórios e dos clientes estejam sendo cumpridos. Porém, mesmo com todos esses desafios, existem maneiras de tornar o trabalho das equipes de compliance e risco menos incertos.

  1. Acesso a dados em tempo real

Mercados voláteis ressaltam a essencialidade da necessidade de dados confiáveis e disponíveis. Os mercados sobem e caem rapidamente durante períodos turbulentos e, portanto, ser capaz de monitorar com precisão as informações do mercado – sem ter que adivinhar – é extremamente importante não apenas para as equipes de atendimento buscando tomar as decisões mais atualizadas sobre as participações em carteira, mas também os profissionais das áreas de risco e conformidade que trabalham no monitoramento dessa atividade em tempo real.

  1. Medidas de Transparência

Conforme a turbulência aumenta nos mercados financeiros, torna-se cada vez mais importante que as equipes de risco e compliance tenham uma perspectiva das carteiras para entender melhor a exposição e desempenhar outras funções de análise de risco. A transparência interna e a clareza em torno dos riscos na carteira também apresentam uma oportunidade para os gestores de fornecerem insights aos investidores que de outra forma não seriam aparentes. Isso ajuda as empresas a gerenciar as expectativas de seus clientes, além de ser uma maneira proativa de comunicação regular com os investidores durante períodos de estresse no mercado. As oportunidades de comunicação contínuas proporcionadas pela transparência da carteira têm uma função extremamente importante, pois os investidores podem muitas vezes sentir que estão no escuro nos momentos em que a volatilidade aumenta e os mercados se tornam mais imprevisíveis.

  1. Hedging Preciso

Para cobrir adequadamente os riscos em carteiras e classes de ativos, os gestores de risco devem ter a capacidade de reunir o maior número possível de fatores de risco relevantes. É particularmente importante que os gestores de risco sejam capazes de garantir que as equipes de investimento estejam fazendo cálculos de exposição com os dados mais precisos e em tempo real. Isso é verdade não apenas para cobertura de hedge, mas, de forma mais ampla, para medir o risco geral da carteira.

  1. Reequilíbrio responsivo

Timing é essencial quando se trata de reduzir o risco de carteira ou reequilibrar a carteira. As equipes de risco e conformidade precisam ter a capacidade de entender rapidamente como as carteiras estão ajustadas e como o reequilíbrio pode mitigar o risco negativo ou mudar o perfil de risco.

  1. Teste de estresse

As condições do mercado mudam de maneira muito rápida e, portanto, a capacidade de submeter as carteiras a testes de estresse em uma ampla variedade de cenários torna-se cada vez mais importante. Isso é verdade tanto para as equipes de investimento que tentam entender como determinados cenários econômicos impactarão o desempenho da carteira, mas também para os profissionais da área de risco que precisam entender como os spreads de crédito, as curvas de rendimento e outras métricas podem impactar o perfil de risco de uma carteira. Os testes de estresse podem dar uma visão das exposições atuais de uma carteira, que as equipes de risco podem usar para comunicar os riscos internamente. É importante lembrar que essas informações também podem ser usadas nas relações com investidores e outras equipes em contato com o cliente para que os clientes tenham confiança de que compreendem os riscos associados às suas carteiras. Esse tipo de comunicação sinaliza aos investidores que o gestor possui ambos o conhecimento e as ferramentas necessárias para entender como uma carteira responderá sob determinadas condições de mercado.

Embora mercados turbulentos com certeza resultem em um ambiente de investimento cada vez mais desafiador, com as ferramentas certas, os profissionais das áreas de compliance e riscos podem garantir total preparação e continuar a cumprir suas responsabilidades até que a volatilidade diminua.

Related posts

August 21, 2020

Gerenciando o inesperado: melhores práticas visando a continuidade dos negócios de fundos multimercado

As condições do mercado mudam de maneira muito rápida e, portanto, a capacidade de submeter as carteiras a testes de… Read More

July 23, 2020

Why It’s Time To Reconsider Traditional Middle Office Outsourcing Models

As asset managers continue to turbocharge their offerings with more complex product suites and wider selections, their demand for services… Read More

April 30, 2020

Selecting a solution for order and portfolio management

10 critical points to consider Read More